©
É engraçado o que as pessoas fazem para serem lembradas.
O Teorema Katherine.  (via readmitir)
Borboletas dançam no meu estômago toda vez que ouço sua voz.
Save me.  (via readmitir)
Sabe, menina, às vezes dá vontade de sumir. Dá vontade de ficar na cama, dá vontade de não dar o rotineiro “bom dia”, tem dias que dá vontade de desistir. Em plena terça-feira a gente pensa em jogar tudo para o alto e sair correndo para um lugar muito longe. Mas a gente não pode, menina. A gente tem que suportar tudo com um sorriso, e ele nem precisa vir da alma. A vida é assim, menina. É triste? É, mas não conseguimos fazer nada senão seguir em frente. A gente não tem que matar um leão por dia, mas dez. O que a gente pode fazer? Esse é o show da vida, todos somos infelizes, senta aqui do meu lado que o espetáculo de corações partido já vai começar.
Eu me chamo Anônimo.  (via readmitir)
— Ficar com você? Por quê? Olha só pra nós, já estamos brigando!
— É o que fazemos. Brigamos. Você fala quando estou sendo desgraçado e arrogante, e eu falo quando você está sendo uma chata irritante. Que é o que você é 99% do tempo. Eu não tenho medo de magoar você. Fica chateada por uns 2 segundos e em seguida volta a fazer a próxima coisa irritante.
— E daí?
— E daí que não vai ser fácil. Vai ser muito difícil. E vamos ter que trabalhar nisso todos os dias. Mas eu quero fazer isso, porque eu quero você. Eu quero você para sempre. Você e eu, todos os dias. Pode me fazer um favor? Por favor. Será que pode imaginar sua vida… daqui a 30 anos, 40 anos. O que você vê? Se vê com aquele homem, então vá. Vá embora. Perdi você uma vez, acho que posso me acostumar de novo, se for o que você realmente quer. Mas não escolha a saída mais fácil.
Diário de uma Paixão. (via readmitir)